Blogger Template by Blogcrowds.

Belo destaque no stand da Casa da Cultura foi “A Verdadeira História do Caboclo D’Água” contada pelo Sr. Antônio Felipe Rezende. Aqui em Barra Longa não existe uma só pessoa que nunca ouviu esta lenda.



"Certo dia, quando eu era pequeno, na beira do rio Carmo, lá pelas bandas da fazenda do meu pai, e em companhia dele, eu vi uma coisa pequena descendo rio abaixo, bem rapidinho, acompanhando a correnteza das águas. Aí, perguntei ao meu pai:
- Pai, o que é aquilo?
Ele respondeu:
- É o dedo do Caboclo D’água.
- Como assim? Indaguei.
Ele me explicou:
- O Caboclo D’água desce o rio mergulhado, pra ninguém ver ele, deixando só o dedo de fora d’água.
Deste dia em diante o Caboclo D’água não me deu mais sossego... Com o passar do tempo ele foi se acostumando comigo, tomando confiança. Foi se mostrando aos poucos e hoje posso dizer que somos meio amigos. Amizade esquisita, mas é amizade. Vive me espreitando por aí a fora, me fazendo passar um aperto danado. Vira e mexe aparece, ora bravo, ora bonzinho. Está sempre por perto. Mas não tem ocasião certa pra aparecer.
Aparentemente ele é meio estranho. Uma mistura de gente com assombração. Não dá pra definir ao certo como ele é de verdade. Nem a cor. Parece uma cor de “burro fugido”. É grande, meio magro, muito desengonçado. Possui humor duvidoso.
Tem gente que não acredita que ele existe. E ele se diverte com isto, gosta de me ver passar como mentiroso... Jurou, de pé junto, que nunca iria deixar ninguém ver ele. Só eu. Se alguém disser por ai que também viu o Caboclo D’água pode ter certeza que não é o verdadeiro. Mas tem gente que caçoa dessa história...
Tempos atrás ele tava meio bravo. Veio com um jeito estranho, tentando explicar alguma coisa, mas eu não tava entendendo nada. Ficou nervoso e me atacou. Deu uma mordida na minha perna que demorou dias e dias pra sarar. E como doía esta mordida... Até a dor de mordida do Caboclo D’água é diferente.
Depois deste episódio andou sumido por uns tempos. Foi aí que tive a idéia de treinar um cachorro pra capturar o Caboclo D’água. Tem gente que também não acredita, mas o cachorro ta pronto para executar o serviço tão logo ele dê as caras. Aí sim, depois de capturado, vou poder provar pra toda Barra Longa que o Caboclo D’água existe mesmo. Só assim vou acabar com a minha fama de mentiroso."




Antônio Felipe Rezende

Barra Longa, 06 de setembro de 2009

Caboclo D'água

“O Caboclo D'água é um ser mítico, defensor do Rio São Francisco, que assombra os pescadores e navegantes, chegando mesmo a virar e afundar embarcações. Para esconjurá-lo, os marujos do São Francisco fazem esculpir, à proa de seus barcos, figuras assustadoras chamadas carrancas. Outros lançam fumo nas águas para acalmá-lo. Também são cravadas facas no fundo de canoas, por haver a crença de que o aço afugenta manifestações de seres sobrenaturais.”

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.



Do Rio São Francisco para o Rio do Carmo...

Quem conhece Barra Longa conhece também a história do Caboclo D’água. Ela percorre os quatro cantos da cidade. Aliás, até já ultrapassou os limites das fronteiras. O jornal O Espeto, de Mariana, em várias edições, faz menção ao Caboclo D’água, dando notícias de seus ataques e sugestões para a sua captura, além de destinar o prêmio de R$10.000,00 (dez mil reais) por foto do Caboclo D’Água.

Há várias pessoas envolvidas nesta questão.

Para Conferir Clique aqui!



Bem que o Caboclo D’água poderia ser o guardião do Rio do Carmo...

Ele necessita de proteção... Recuperá-lo, conservá-lo e preservá-lo pela revitalização e renaturalização de seu curso d' água são atitudes que merecem atenção e urgência.


Se você também preocupa-se com a questão ambiental CLIQUE AQUI




“Folclore é um gênero de cultura de origem popular, constituído pelos costumes e tradições populares transmitidos de geração em geração. Todos os povos possuem suas tradições, crendices e superstições, que se transmitem através de lendas, contos, provérbios, canções, danças, artesanato, jogos, religiosidade, brincadeiras infantis, mitos, idiomas e dialetos característicos, adivinhações, festas e outras atividades culturais que nasceram e se desenvolveram com o povo.”

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.






Apesar da chuva, o I Festival de Folclore de Barra Longa conseguiu atrair a atenção de muita gente !











Casa da Cultura:

A Casa da Cultura participou do I Festival de Folclore de Barra Longa expondo peças de artesãos e artistas plásticos da cidade, uma pequena biblioteca com destaque para “A Verdadeira História do Caboclo D’Água” e uma mostra de elementos que compõem a tradição de uma casa rural mineira, com fotos das Fazendas da Barra, que pertencem ao acervo municipal.

Artistas Plásticos e Artesãos: Marcelo Tavares, Edmo, Dr. Armando, Mônica e ABBA
















Doces para degustação no stand da casa da cultura




Exposição de Bordados - Abba:

Acesse o Novo Blog da Abba:

http://abba-blonga.blogspot.com







Encontro de grupos Folcloricos:











(Para melhor visualização clique nas fotos)


Participe! Comente!

Postagens mais recentes Postagens mais antigas Página inicial