Blogger Template by Blogcrowds.


Dia 31 de outubro
Dia D - Dia Drummond

Data criada para relembrar a vida e celebrar o aniversário de Carlos Drummond de Andrade, nascido em 31 de Outubro de 1902




No meio do caminho

No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.

Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra.



Este consagrado poeta brasileiro nasceu em Itabira, Minas Gerais no ano de 1902. Tornou-se, pelo conjunto de sua obra, um dos principais representantes da literatura brasileira do século XX.
Concretizou seus estudos em Belo Horizonte, e, neste mesmo local, deu início a sua carreira de redator, na imprensa. Também trabalhou por vários anos como funcionário público.
Seus poemas abordam assuntos do dia a dia, e contam com uma boa dose de pessimismo e ironia diante da vida. Em suas obras, há ainda uma permanente ligação com o meio e obras politizadas. Além das poesias, escreveu diversas crônicas e contos.

Os principais temas retratados nas poesias de Drummond são: conflito social, a família e os amigos, a existência humana, a visão sarcástica do mundo e das pessoas e as lembranças da terra natal.

Dentre suas obras poéticas mais importantes destacam-se: Brejo das Almas, Sentimento do Mundo, José, Lição de Coisas, Viola de Bolso, Claro Enigma, Fazendeiro do Ar, A Vida Passada a Limpo e Novos Poemas,

Talentoso também na prosa, tem suas prosas reunidas nos seguintes volumes: Confissões de Minas, Contos de Aprendiz, Passeios na Ilha e Fala Amendoeira.

Na década de 1980 lançou as seguintes obras: A Paixão Medida, que contém 28 poemas inéditos; Caso do Vestido (1983); Corpo (1984); Amar se aprende amando (1985) e Poesia Errante (1988).

Faleceu em 17 de agosto de 1987, no Rio de Janeiro, doze dias após a morte de sua filha única.
Fonte: http://www.suapesquisa.com/biografias/drummond.htm

Acesse: http://diadrummond.ims.uol.com.br/

Trilhas do Crescimento



Bordadeiras da ABBA


Constituída oficialmente em 28/05/2003, a ABBA - Associação Barralonguense de Bordadeiras e Artesãos - vem conquistando espaço de destaque no mercado do artesanato. Foram anos de trabalho árduo enfrentando as inúmeras dificuldades encontradas nesta caminhada. Sonhadoras e empreendedoras as bordadeiras têm motivos de sobra para darem risadas...

Em 2011 a ABBA participou de feiras nas cidades de São João Del'Rei, Ponte Nova, Tiradentes, Juiz de Fora e Belo Horizonte. Somente em Belo Horizonte participaram do Projeto Escadaria realizado por Serras de Minas; em feira realizada pelo Instituto Centro Cape, na Serraria Souza Pinto e ainda tem agendada a Feira Nacional do Artesanato, no EXPOMINAS, em novembro/dezembro. Nestes eventos a ABBA leva em suas bagagens não somente seus bordados, mas o nome da cidade de Barra Longa por onde passam.

Caminhando junto à ROTA Estrada Real (Rede de Empresários da Estrada Real), Instituto Centro Cape, Serras de Minas, SEBRAE e SAMARCO Mineração S/A a ABBA tem muitas conquistas pela frente...


Veja o que disse gazetaonline.globo.com e assista ao filme clicando aqui





O livro "Fazendas do Ouro" já está disponível nas livrarias


http://www.travessa.com.br/FAZENDAS_DO_OURO/artigo/6796dff0-f0d7-4c4d-b640-e074cdafdc4b

https://www.livrarialoyola.com.br/detalhes.asp?secao=livros&CodId=1&ProductId=313990&Menu=1


Edições Fadel
Historiadores: F. Tasso Fragoso Pires e Mary del Priore
Fotógrafo: Cristiano Mascaro
Seleção de Fazendas: Arthur Mário Belisario Vianna


O livro, com capa dura em formato 23,5 x 30,5, nas suas 280 páginas apresenta belíssimas fotos com informações históricas e arquitetônicas em idioma português e inglês.

Foram selecionadas 22 fazendas, sendo 20 mineiras e entre estas 02 são de Barra Longa: Fazenda Nossa Senhora da Conceição de Corvinas e Fazenda Santo Antônio.


São elas:

Fazenda Água Limpa – 1728 – Conselheiro Lafaiete
Fazenda Babilônia – 1746 – Pirenópolis (Goiás)
Fazenda Boa Esperança – 1746 – Belo Vale
Fazenda Cachoeira – 1713 – Santana dos Montes
Fazenda Cachoeira do Santinho – 1713 – Santana dos Montes
Fazenda Caieira – 1727 – Ouro Preto
Fazenda Capão Seco – 1746 – Lagoa Dourada
Fazenda Carreiras – 1746 – Ouro Branco
Fazenda da Jaguara – 1724 – Barbacena
Fazenda da Pedra – 1750 – Santana dos Montes
Fazenda das Minhocas – 1746 – Jaboticatubas
Fazenda do Cipó – 1746 – Jaboticatubas
Fazenda do Leitão – 1746 – Curral Del Rei
Fazenda do Pombal – 1724 – Ritápolis
Fazenda dos Macacos – 1746 – Conselheiro Lafaiete
Fazenda Fonte Limpa – 1742 – Santana dos Montes
Fazenda Nossa Senhora da Conceição das Corvinas – 1746 – Barra Longa
Fazenda Ribeirão – 1746 – Alvorada de Minas
Fazenda Santa’Anna – 1746 – Paty de Alferes (Rio de Janeiro)
Fazenda Santo Antônio – 1746 – Barra Longa
Fazenda São José do Manso – 1706 – Ouro Preto
Fazenda Sesmaria – 1746 – Alvorada de Minas



Postagens mais recentes Postagens mais antigas Página inicial